Empresa de Pomerode aposta no licenciamento de marcas e garante contratos exclusivos no país

Notícias, Pomerode News

Produtos com estampas de marcas famosas ou personagens de entretenimento estão cada vez mais comuns no mercado brasileiro, graças ao licenciamento de marcas. A Fakini, de Pomerode, investe alto na produção de licenciados. Essa estratégia permitiu um crescimento de cerca de 50% na coleção de inverno em relação à mesma coleção de 2016.

A aposta mais recente da Fakini está no lançamento da coleção verão em que serão apresentados os primeiros produtos com a marca Star Wars no Brasil, uma exclusividade da empresa. O oitavo filme da saga será lançado em dezembro e poucas semanas antes da estreia, a Fakini deve lançar a primeira coleção oficial de Star Wars.

“Temos uma boa expectativa em relação às vendas da marca Star Wars. Graças a esse licenciamento, a companhia vai entrar também na moda masculina adulto”, destaca Francis.

Com foco no vestuário infantil de 1 a 10 anos, a empresa atinge em cheio um dos principais públicos das marcas licenciadas, as crianças. A empresa tem ainda contrato com marcas como Disney, Cartoon Network, Warner Bros, com os principais personagens infantis como Barbie e Batman.

Atualmente, a produção da empresa chega a um milhão de peças por mês, para os públicos infantil, juvenil e feminino adulto. Os produtos são vendidos em cerca de 7 mil pontos em todo o país e América do Sul.

“Mesmo com o setor sofrendo turbulências, estamos fora da curva, com um crescimento acima de 10% ao ano e para 2017 a previsão é de manter esse ritmo”, afirma Francis Fachini, diretor comercial da empresa.

Fábrica da Fakini,  em Pomerode (Foto: Daniel Zimmermann)Fábrica da Fakini,  em Pomerode (Foto: Daniel Zimmermann)

Fábrica da Fakini, em Pomerode (Foto: Daniel Zimmermann)

O diretor destaca que, mesmo com um momento econômico difícil, a empresa recebeu muitas propostas de novos clientes. “Nós buscamos diminuir os custos para conseguir manter a qualidade e oferecer um preço justo, que seja competitivo”, afirma.

Para conseguir esses bons resultados a Fakini investe na verticalização da produção: tudo é feito internamente, da confecção da malha à costura. “Para 2017, queremos intensificar nossa presença no nordeste brasileiro e explorar novos mercados internacionais. Nosso foco é a América do Norte, Oriente Médio e Europa”, conclui o diretor.

Empresário Francis Fakini (Foto: Daniel Zimmermann)Empresário Francis Fakini (Foto: Daniel Zimmermann)

Empresário Francis Fakini (Foto: Daniel Zimmermann)

Mercado de licenciados

O Brasil está entre os seis países com maior faturamento em licenciamento de marcas do mundo, e o setor de confecção é o segmento que mais utiliza o licenciamento, segundo dados da Associação Brasileira de Licenciamento (Abral).

No ano passado, o faturamento do setor foi de R$ 17,8 bilhões no varejo, um crescimento de 5% em relação a 2015, e para 2017, a previsão é de aumento também de 5%, o que elevará o faturamento do setor para aproximadamente R$ 18,7 bilhões.